Ensino por meio da resolução de problemas do cotidiano: divulgação de uma ferramenta didática

Autores

  • Laís Alves Silva Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
  • Vanêssa Brito Fernandes Neves Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
  • Rômulo Sposito das Virgens Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano

Palavras-chave:

Aprendizagem, educação, ensino, estatística, matemática

Resumo

Sabe-se que discentes que apresentaram dificuldades de aprendizado na área da matemática ao longo de sua vida escolar, tendem a apresentar baixos resultados de aprendizado em Estatística. Este problema surge não por uma falta de conhecimento prévio necessário, mas sim por uma avaliação negativa quanto à própria capacidade de lidar com conteúdo matemático. Diversas pesquisas têm sido realizadas sobre o ensino da Estatística no sentido de minimizar essas dificuldades e estreitar a relação dos alunos com a disciplina e suas próprias habilidades matemáticas e/ou interpretativas. Para tornar o conteúdo e a disciplina mais acessíveis aos alunos, é necessário inserir a estatística no cotidiano e desenvolver novas metodologias que auxiliem nesse processo. Diante disso, o trabalho objetivou-se em desenvolver uma ferramenta didática capaz de aprofundar o estudo e a aplicação prática da estatística no aprendizado do aluno, visando maior entendimento do conteúdo e modificando a visão negativa da matemática. O estudo foi realizado com as turmas de Ciências Biológicas e Ciências da Computação, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em 2013 e 2014. Os alunos foram organizados em grupos de até 5 participantes e cada grupo escolheu um problema como caso de estudo. Baseado em três roteiros distribuídos pelo professor, cada grupo criou um projeto. Os estudantes realizaram desde a coleta até a interpretação dos resultados. Foram realizados 15 trabalhos, com diferentes temas. A aplicação da atividade, como ferramenta didática, tornou o conteúdo e a disciplina mais acessíveis aos alunos, inserindo a estatística como uma ferramenta do cotidiano, bem como permitiu um maior entendimento do conteúdo de estatística, modificando a visão negativa da mesma.

Biografia do Autor

Laís Alves Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Graduanda em licenciatura em matemática pela  Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Vanêssa Brito Fernandes Neves, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas – DCET

Rômulo Sposito das Virgens, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano

Referências

AGUINIS, H.; BRANSTETTER, S.A. Teaching the concept of the sampling distribution of the mean. Journal of Management Education, v.31: 467-483, 2007.
ALMEIDA, M. R. Imagens sobre o ensino e a aprendizagem da Estatística. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 2002.
ASSIS, L.B. O ensino de estatística baseado em aplicações de atividades exploratórias. Programa de pós-graduação em educação matemática. Mestrado profissional em educação matemática. Federal de Juiz de Fora. 2015.
BATANERO, C. Didáctica de la Estadística. Grupo de Investigación en Educación Estadística, ISBN 84-699-4295-6, Universidad de Granada, Espanha, 2001.
BATANERO, C., ARTEAGA, P. & RUIZ, B. Análisis de la complejidad semiótica de los gráficos producidos por futuros profesores de educación primaria en una tarea de comparación de dos variables estadísticas. Enseñanza de las Ciencias, 28(1), 141- 154, 2010.
BELFORT, E. Utilizando o computador na capacitação de professores. In: CARVALHO, L. M.; GUIMARÃES, L. C. (Org.). História e Tecnologia no Ensino da Matemática. Rio de Janeiro: IME-UERJ, 2002.
BELLONI, M. L. O que é mídia e educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.
CAMPO, C.R., WODEWOTZKI, M.L.L., JACOBINI, O.R. Educação Estatística: teoria e prática em ambiente de modelagem matemática. Coleção tendências em educação matemática, 2011.
CAMPOS, C.R. A educação estatística: Uma investigação acerca dos aspectos relevantes à didática da estatística em cursos de graduação. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista. Instituto de Geociências e Ciências Exatas. São Paulo, 2007.
CAZORLA, I. M., SILVA, C. B. VENDRAMINI, C., BRITO, M. R. F. Adaptação e Validação de uma Escala de Atitudes em Relação à Estatística. Atas da Conferência Internacional "Experiências e Expectativas do Ensino de Estatística - Desafios para o Século XXI", Florianópolis, setembro, 1999.
CHANCE, B. L. Components of statistical thinking and implications for instruction and assessment. In: Journal of Statistics Education, v. 10, n. 3., 2002.
CORDANI, L. K. O Ensino de Estatística na Universidade e a controvérsia sobre os fundamentos da inferência. Tese de doutorado. USP, São Paulo, 2001.
CURCIO, F. R. Developing graph comprehension: elementary and middle school activities. Reston, VA: NCTM, 1989.
FUJII, N. P. N. & SILVEIRA, I. F. Individualizando o Ensino de Estatística Através do Uso de Objetos de Aprendizagem Adaptativos. XVII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação – SBIE - UNB/UCB, 2006.
GAGNÉ, R. M., WHITE, R. T. Memory structures and learning outcomes. Review of Educational Research, 48, 187-222. – apud Aguinis, H; Branstetter, S.A. 2007.
Teaching the concept of the sampling distribution of the mean. Journal of Management Education, v.31: 467-483, 1978. Garfield, J. & Ahlgren, A. Difficulties in learning basic concepts in probability and statistics: implications for research. Journal for Research in Mathematics Education, 19(1), pp. 44-63, 1988.
GARFIELD, J., & BEN-ZVI, D. Developing Students’ Statistical Reasoning Research and Teaching Practice. Springer Publishers, 2008.
MONTEIRO, C. & SELVA, A. C. V. Investigando a atividade de interpretação de gráficos entre professores do ensino fundamental. Anais da XXIV Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Caxambu, Brasil, 2001.
MORAIS, P. C. Construção, leitura e interpretação de gráficos estatísticos por alunos do 9.º ano de escolaridade. Dissertação de Mestrado, Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2011.
PIAGET, J. A Epistemologia Genética. Trad. Nathanael C. Caixeira. Petrópolis: Vozes, 110p., 1971.
PONTE, J. P.; OLIVEIRA, H.; VARANDAS, J. M. O contributo das tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento do conhecimento e da identidade profissional, Em D. Fiorentini (ed.), Formação de professores de matemática: explorando novos caminhos com outros olhares (pp.159-192), 2003.
SHAUGHNESSY, J. M. Research on Statistics Learning and Reasoning. In F. LESTER (Eds.), Second Hanbook of Research on Mathematics Teaching and Learning (pp. 957-1009). Greenwich, CT: Information Age Publishing, 2007.
TOMASETTO, C.; MATTEUCCI, M.C.; CAUGATI, F.; SELLERI. Effect of task presentation on students’ performances in introductory statistics courses. Social Psychology of Education, v. 12:191–211, 2009.

Downloads

Publicado

2019-07-07

Como Citar

LAÍS ALVES SILVA; VANÊSSA BRITO FERNANDES NEVES; RÔMULO SPOSITO DAS VIRGENS. Ensino por meio da resolução de problemas do cotidiano: divulgação de uma ferramenta didática. Revista Virtual Lingu@ Nostr@, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 102–112, 2019. Disponível em: https://linguanostra.net/index.php/Linguanostra/article/view/107. Acesso em: 10 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.