TÓPICO DISCURSIVO E CONSTRUÇÃO DO PONTO DE VISTA NA TESSITURA ARGUMENTATIVA DE REDAÇÕES DE VESTIBULANDOS

Autores

  • Raul Guilherme Candido da Silva UFPE
  • Suzana Leite Cortez UFPE

Palavras-chave:

Condução tópica; Construção de ponto de vista; Orientação argumentativa.

Resumo

Nos estudos da Linguística Textual do Brasil, o tópico discursivo, como uma categoria de análise textual-interativa, vem sendo estudado há quase três décadas nos mais diversos gêneros textuais (PINHEIRO, 2005). Considerado como fio condutor do texto (JUBRAN, 2006a; 2006b), em gêneros argumentativos – como no caso da redação de vestibular –, ele já foi associado às sequências argumentativas de Jean-Michel Adam (ALENCAR e FARIA, 2014) e às metarregras da coerência de Michel Charolles (LINS et al., 2017; SÁ, 2018). Entretanto, com as novas tendências de análise da argumentação nos estudos textuais, acreditamos que ele possa ser associado também aos estudos da argumentatividade no discurso (AMOSSY, 2018), bem como aos estudos da teoria rabateliana do ponto de vista (CORTEZ, 2011; RABATEL, 2013; 2016). Dessa forma, nosso objetivo é investigar como, em duas redações de vestibulandos, o tópico é conduzido de modo que ele oriente a argumentação e construa o ponto de vista e o sentido desses textos. Com a análise feita, percebemos que os dois textos apresentam orientação argumentativa. Contudo, mais do que essa orientação, os textos necessitam de organização argumentativa e manutenção da progressão/continuidade tópica para que seus pontos de vista sejam construídos e firmados de maneira coerente.

Biografia do Autor

Suzana Leite Cortez, UFPE

Professora do Departamento de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE. Doutora em Linguística pela UNICAMP. Líder do grupo de pesquisa GESTO (Grupo de Estudos do Texto/UFPE).

Referências

ALENCAR, Elisbeth de; FARIA, Graça. Tópico discursivo e argumentação nos textos escolares. In: ELIAS, Vanda M. (Org.). Ensino de Língua Portuguesa: oralidade, escrita e leitura. 1. ed., 3ª reimpressão. – São Paulo: Contexto, 2014.

AMOSSY, Ruth. A argumentação no discurso. Coordenação de tradução: Eduardo L. Piris e Moisés Olímpio-Ferreira; tradução de Angela M. S. Corrêa... [et al.]. – São Paulo: Contexto, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Diretoria de Avaliação da Educação Básica. Redação no Enem 2018: cartilha do participante. Brasília, 2019. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/downloads/2019/redacao_enem2019_cartilha_participante.pdf>. Acesso em: Janeiro de 2020.

CORTEZ, Suzana L. A construção textual-discursiva do ponto de vista: vozes, referenciação e formas nominais. 249f. 2011. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade de Campinas, Campinas, 2011.

JUBRAN, Clélia C. A. S. Tópico discursivo. In: ______; KOCH, Ingedore G. V. (Orgs.). Gramática do português culto falado no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 2006a.

______. Revisitando a noção de tópico discursivo, Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, 48(1), p. 33-41, – Jan./Jun., 2006b.

MARCUSCHI, Luiz A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LINS, Mª da Penha et al. Tópico discursivo e transversalidade de temas no ensino de Língua Portuguesa. In: MARQUESI, Sueli C.; PAULIUKONIS, Aparecida L.; ELIAS, Vanda M. (Orgs.). Linguística Textual e ensino. São Paulo: Contexto, 2017.

PINHEIRO, Clemilton L. Estratégias textuais-interativas: a articulação tópica. – Maceió: Edufal, 2005.

RABATEL, Alain. Homo narrans: por uma abordagem enunciativa e interacionista da narrativa: pontos de vista e lógica da narração: teoria e análise. Tradução de Mª das G. S. Rodrigues, Luís Passeggi, João G. da Silva Neto; revisão técnica João G. da Silva Neto. – São Paulo: Cortez, 2016.

______. O papel do enunciador na construção do interacional dos pontos de vista. In: EMEDIATO, Wander (Org.). A construção da opinião na mídia. Belo Horizonte: Fale/UFMG, Núcleo de Análise do Discurso, 2013.

SÁ, Kleiane B. de. Coerência e articulação tópica: uma análise a partir de redações do Enem. 260 f. 2018. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Humanidades, Departamento de Letras Vernáculas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

CANDIDO DA SILVA, R. G.; SUZANA LEITE CORTEZ. TÓPICO DISCURSIVO E CONSTRUÇÃO DO PONTO DE VISTA NA TESSITURA ARGUMENTATIVA DE REDAÇÕES DE VESTIBULANDOS. Revista Virtual Lingu@ Nostr@, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 43–62, 2020. Disponível em: https://linguanostra.net/index.php/Linguanostra/article/view/192. Acesso em: 4 dez. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.