BRANQUITUDE, BRANQUIDADE, PRIVILÉGIO BRANCO: Dissertações e Teses sobre o tema no Brasil

https://doi.org/10.29327/232521.8.2-5

Autores

  • Arthur Luhr Mello Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Alexandre de Oliveira Fernandes Instituto Federal da Bahia (IFBA)

Palavras-chave:

branquitude, branquidade, privilégio branco

Resumo

Elencando para análise 12 trabalhos científicos (4 teses e 8 dissertações), distribuídos entre anos de 2002 a 2018 na Biblioteca Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), o presente artigo se configura em revisão sistemática acerca da triangulação “branquitude”, “branquidade” e “privilégio branco”. A primeira parte do artigo apresenta notas iniciais acerca da metodologia empregada para coleta de dados e um panorama geral acerca do material em tela. Na sequência são apresentados os trabalhos mapeados, divididos em três áreas, a saber, Psicologia, Educação e Ciências Sociais. Finalmente, reflete acerca da necessidade de se romper com o privilégio branco.

Referências

ALVES, Luciana. Significados de ser branco - a brancura no corpo e para além dele. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

BASTOS, Janaina Ribeiro Bueno. "Da história, das subjetividades, dos negros com quem ando": um estudo sobre professores brancos envolvidos com a educação das relações étnico-raciais. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

BENTO, Maria Aparecida da Silva. Pactos narcísicos no racismo: branquitude e poder nas organizações empresariais e no poder público". 2002. Tese (Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002a.

BENTO, Maria Aparecida da Silva. Branqueamento e Branquitude no Brasil. In: Psicologia social do racismo – estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil / Iray Carone, Maria Aparecida Silva Bento (Organizadoras). Ed. Vozes, Petrópolis (RJ), 2002b.

BERTUZZI. Damaris. O desafio das relações étnico-raciais em região de colonização italiana: estudo no município de Carlos Barbosa. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, São Leopoldo, RS, 2018.

CARDOSO, Lourenço. Branquitude acrítica e crítica: A supremacia racial e o branco antirracista. Revista Latino-Americana de Ciências Sociais Niñez Juventud, Manizales, v. 8, n. 1, p. 607-630, jan. 2010.

CONCEIÇÃO, William. Brancura e branquitude: ausências, presenças e emergências no campo de debate. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós Graduação em Antropologia Social. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2017.

COURANT. Ansel. Conscientização branca em espaços de capoeira: percepções de privilégio entre brancos que convivem com negros. 2018. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Salvador, 2018.

DUTRA, Maria Rita Py. Cotistas negros da UFSM e o mundo do trabalho. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

FERES JUNIOR, João. A atualidade do pensamento de Guerreiro Ramos: branquidade e nação. Cad. CRH, Salvador, v. 28, n. 73, p. 111-125, abr. 2015.

GUERREIRO RAMOS, A Introdução Crítica à Sociologia Brasileira. Rio de Janeiro: Editorial Andes, 1957.

OLIVEIRA. Carolina dos Santos de. As adolescentes negras no discurso da Revista Atrevida. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

PEREIRA, Eduardo Santiago. O racismo estrutural como limite: às políticas públicas de combate à discriminação. 2018. 165 f. Tese (Direito Político e Econômico) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

PINHEIRO. Adevanir Aparecida. Identidade étnico-racial e universidade: a dinâmica da visibilidade da temática afrodescendente e as implicações eurodescendentes, em três instituições de ensino superior no sul do país. Tese (doutorado) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, São Leopoldo, RS, 2018.

SANTIAGO, Flávio. "O meu cabelo é assim... igualzinho o da bruxa, todo armado": hierarquização e racialização das crianças pequenininhas negras na educação infantil. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2014.

SANTOS, Mafoane Odara Poli. Médicos e pacientes têm sexo e cor? A perspectiva de médicos e residentes sobre a relação médico-paciente na prática ambulatorial. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o "encardido", o "branco" e o "branquíssimo": raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana. Tese (Doutorado em Psicologia Social) Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SOUTA, Marivete. “Quando me dei conta de que era negra(o)/branca(o)?”: um estudo a partir de relatos autobiográficos de estudantes adolescentes. Dissertação (Mestrado em Estudos da linguagem) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2017.

Downloads

Publicado

2022-04-20

Como Citar

LUHR MELLO, A.; DE OLIVEIRA FERNANDES, A. BRANQUITUDE, BRANQUIDADE, PRIVILÉGIO BRANCO: Dissertações e Teses sobre o tema no Brasil: https://doi.org/10.29327/232521.8.2-5. Revista Virtual Lingu@ Nostr@, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 55–75, 2022. Disponível em: https://linguanostra.net/index.php/Linguanostra/article/view/243. Acesso em: 2 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.