RACISMO LINGUÍSTICO É SOBRE PALAVRAS?

Um prefácio

Autores

  • Gabriel Nascimento

Palavras-chave:

Racismo linguístico

Resumo

Logo quando eu lancei meu livro Racismo linguístico (NASCIMENTO, 2019a), eu
recebi convite de alguns jornalistas para matérias especiais ou de profissionais de redes sociais
para live. Em qualquer um dos casos, essas pessoas ainda não tinham lido o livro e queriam
saber daquela novidade. Novidades, porém, são perigosas porque confundem escolas e unem
progressismos distintos, muitas vezes partindo de loci de enunciação bem distantes.

Biografia do Autor

Gabriel Nascimento

Universidade Federal do Sul da Bahia
Grupo de Pesquisa em Linguagem e Racismo (CNPq)

Referências

ALIM, H.S. Introducin raciolinguistics. In Alim, H. S., J. R. Rickford & A. F. Ball. (Orgs.) Raciolinguistics: How Language Shapes Our Ideas about Race. New York: Oxford University Press, 2016.

BAKHTIN, M. M. (Mikhail Mikhailovich). Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociologico na ciencia da linguagem. 8.ed. São Paulo; Hucitec, 1997.

BAKHTIN, M. M. (Mikhail Mikhailovich). Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociologico na ciencia da linguagem. 8.ed. São Paulo; Hucitec, 1997.

CESAIRE, A. Discurso sobre o colonialismo. Porto: Cadernos para o diálogo, 1971.

FANON, F. Pele Negra Mascaras Brancas. Salvador: EdUFBA, 2008.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. 3. ed. São Paulo: Ática, 1978

FERREIRA, A. J. Teoria Racial Crítica e Letramento Racial Crítico: Narrativas e Contranarrativas de Identidade Racial de Professores de Línguas. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) - ABPN, v. 6, p. 236-263, 2014.

GARCÍA, O.; WEI, l. Translanguaging: Language, bilingualism and education. Basingstoke, UK: Palgrave Macmillan, 2014.

GILROY, P. O Atlântico Negro. Modernidade e dupla consciência, São Paulo, Rio de Janeiro, 34/Universidade Cândido Mendes – Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001.

GONZALEZ, L. A categoria político-cultural de amefricanidade. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 92/93, p. 69-82, jan./jun. 1988.

GUERREIRO RAMOS, A. “Patologia social do branco brasileiro”. Jornal do Comércio, jan, 1955.

IRVINE, J.; GAL, S. Language ideology and linguistic differentiation. In: KROSKRITY, P.V. (Org.). Regimes of Language: Ideologies, Polities, and Identities (pp. 35–83). Santa Fe, NM: School of American Research Press, 2000.

LUCCHESI, D. (2019). Por que a crioulização aconteceu no Caribe e não no Brasil? Condicionamentos sócio-históricos. Gragoatá, 24(48), 227-255.

MAKONI, S.; PENNYCOOK, A. Disinventing and Reconstituting Languages. In: MAKONI, S.; PENNYCOOK, A. (Org.). Disinventing and Reconstituting Languages. Clevedon: Multilingual Matters, 2007.

MAY, S. Justifying educational language rights. Review of Research in Education, 38 (1), 215-241, 2014.

MBEMBE, A. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2014.

MBEMBE, A. Necropolítica. São Paulo: N-1 edições, 2018.

MENEZES DE SOUZA, Lynn Mario Trindade. Remapping Writing: indigenous writing and cultural conflict in Brazil. English Studies in Canada, Canada, v. 30, n.3, p. 4-16, 2004.

MOORE, C. Racismo e sociedade: novas bases epistemológicas para entender o racismo. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.

MUNANGA, K . Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MUNIZ, K. Linguagem e Identificação: uma contribuição para o debate sobre ações afirmativas para

negros no Brasil. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da

Linguagem, 2009.

NASCIMENTO, G. Racismo linguístico: os subterrâneos da linguagem e do racismo. 1. ed. Belo Horizonte: Letramento Editorial, 2019.

NASCIMENTO, Gabriel. Racism in English Language Teaching? Autobiographical Narratives of Black English Language Teachers in Brazil. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 19, p. 959-984, 2019.

PESSOA DE CASTRO, Yeda. Marcas de Africania no Português Brasileiro. Africanias.com, v. 01, africanias.com, 2011.

ROBINSON. C. Black Marxism: The Making of the Black Radical Tradition. University of North Carolina Press, 1983.

ROSA, J.; FLORES, N. Unsettling race and language: Toward a raciolinguistic perspective. Language in Society, 46(5), 621-647, 2017.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Fontes. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 225-242, Mar. 2011.

SEVERO, C. G. A invenção colonial das línguas da América. Alfa: Revista de Linguística (UNESP. Online), v. 60, p. 11-28, 2016.

SILVERSTEIN, M. Language structure and linguistic ideology. In: Clyne, P. R.; Hanks, W. F.; Hofbauer , C. L. (Orgs.), The Elements: A Para-Session on Linguistic Units and Levels. Chicago: Chicago Linguistic Society, 1979.

SOUZA, A.L. S. Letramentos de reexistência: poesia, grafite, música, dança:hip hop. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

WILLIAMS, Q.; STROUD, C. Linguistic citizenship: Language and politics in postnational modernities. Language & Citizenship, n. 14, v. 3, 2015.

Downloads

Publicado

2021-11-20

Como Citar

NASCIMENTO , G. . RACISMO LINGUÍSTICO É SOBRE PALAVRAS? Um prefácio . Revista Virtual Lingu@ Nostr@, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 3–15, 2021. Disponível em: https://linguanostra.net/index.php/Linguanostra/article/view/253. Acesso em: 27 jan. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.